quinta-feira, 28 de setembro de 2017

Geralzão da India



ANTES DE IR 
Antes de viajar pra India é muito comum ficar pensando em tudo que já ouvimos falar daquele país, de todas as infecções alimentares que relatam, do trânsito caótico, do cheiro de massala, das castas, da sujeira, enfim, de tudo que passa pela cabeça de todo mundo em um flash quando se ouve falar em India. Daí vem aquela mistura de medo do desconhecido, de curiosidade pra ver se é aquilo mesmo que falam. Será que vou ter infecção alimentar? Será que meu estômago não é mais forte do que aquele meu amigo que foi? Qual será o cheiro de massala? Será que o trânsito é pior que de São Paulo? Será? Será? Talvez Shiva responda. 

A CHEGADA 
Chegando lá a impressão que temos é de que todos os relatos são verdadeiros . Parece que a porta do avião abre e o cheiro de massala invade o ar, deve ser massala, só pode ser massala. E esse calor? Achei que era inverno aqui. 
O aeroporto de Nova Delhi é grande, a polícia meio desorganizada e uma confusão de filas, porque lá parece que não existe um respeito com filas, mas tem uma ordem que só eles conhecem e que no final funciona, melhor entrar na onda. 
Saindo no saguão do aeroporto parece que estamos num zoológico, onde nós somos os animais, exóticos, com outra cor de pele, outro tipo de cabelo, e eles nos observam, talvez imaginando de onde somos, o que estamos fazendo ali? 
Da janela do carro, a caminho do hotel, é possível observar tudo aquilo que se ouve sobre o trânsito, complicado entender como não tem um acidente por metro. 

PRIMEIRAS IMPRESSÕES 
Acordar na India é quase mágico, é surreal, porque só vai pra India quem quer muito conhecer a India, afinal não ouvimos coisas muito boas de lá, e quando ouvimos é sempre acompanhado de algo como - “mas toma cuidado com o que come, tem que ter estômago” - daí os mil receios, medos, que parece que ficam escondidos em algum lugar quando se está lá, a curiosidade matou o gato, dizem, acho que mata medo também. 
Os primeiros dias em um país novo nunca são normais, são sempre muito bons ou muito ruins, porque as primeiras impressões ficam, e elas dependem muito do seu estado de espírito ou do seu humor, mas os primeiros dias na India são quase absurdos, a cultura é totalmente diferente de qualquer coisa que já tenha visto, a organização deles é completamente outra, há vacas, macacos, crianças, idosos, adultos, vendedores, hindus, budistas, muçulmanos, tudo junto, tudo misturado, tudo no mesmo espaço, e tudo bem. 
O mais impressionante é o olhar das pessoas, elas te olham no olho, na alma, te consomem e quase te contam uma história só com uma troca de olhares, e esse olhar é muitas vezes acompanhado de um sorriso, sempre sincero, que te deixa até sem graça, não estamos acostumados. 

VIAJANDO POR LÁ 
A melhor forma de viajar pelo país é de avião ou de trem, mas tem uma outra boa opção, um pouco mais cara, que é alugar um carro com motorista que pode te levar de uma cidade a outra, e nesse esquema pode incluir o acompanhamento de um guia, o que ajuda muito na compreensão dos locais a serem visitados. 
Um destino bem legal, só é preciso checar os dias exatos em que acontece, é a feira de camelos em Pushkar, cheia de atrações circenses como mulheres barbadas, anões, lutas, geralmente acontece em novembro. Pushkar aliás é uma das cidades mais sagradas da India, tem um lago sagrado no qual ofertam para os Deuses e se banham como benção, como purificação. 
Uma das maneiras de ir de Delhi para Pushkar é o trem que por sinal é uma loucura, difícil de achar o vagão, o assento, e difícil entender como 200km de distância podem demorar 8h para serem percorridos, mas logo que o trem parte vem a resposta, ele vai a uns 5km/h. A vista do trem é muito bizarra, muitas coisas acontecem nesses 5km/h, talvez seja bom então o trem ir devagar, fica mais fácil de observar o exterior, desde pessoas defecando nos trilhos do trem vizinho a bebês em cima de vacas, tudo é possível e os olhos quase se acostumam ao surreal, estranhamos o normal, questionamos o normal. 
Agra é quase destino obrigatório aos turistas, é lá que fica o Taj Mahal, do amor do príncipe Shah Jahan pela princesa Mumtaz Mahal... (já dizia Jorge Ben). Daí redescobrimos a história do local, que é uma história de amor mesmo, um monumento construído em memória de sua esposa favorita. 
Outro destindo incrível é Varanasi, que é a cidade mais sagrada da India, uma das mais sagradas do mundo, uma das mais caóticas também, e  é lá que passa uma parte do Ganges, onde cremam corpos, dançam, fazem a famosa laughing yoga, tudo em suas margens, tudo com respeito. 

AS CONCLUSÕES 
A sensação de voltar é ruim, a viagem acabando, a volta para a realidade, parece que a India te tira da Terra, te bota num mundo mágico, cheio de cenas surreais, inimagináveis e com as pessoas mais sinceras e bonitas do mundo. 

É, pra ir pra India tem que ter muito mais que estômago, tem que ter coração, pra entender as razões pelas quais um povo tão humilde te sorri com bondade, te aceita com facilidade e te leva pra ser parte deles, nem que seja por 20 dias.

sábado, 23 de setembro de 2017

Camping no Parque Carlos Botelho

Pro dia dos Pais começamos uma nova tradição! Acampar.
Pelo segundo ano consecutivo fomos numa moto-trip acampar.
Um grande desafio é sempre encontrar um camping legal, nosso objetivo dessa vez era um camping mais natural, com uma estrutura boa mínima mas com pouca gente e sem farofa.
Dessa vez recebi uma dica muito boa de uma amiga minha e partimos para o Parque da Onça Parda  em São Miguel Arcanjo-SP.
O Parque camping é praticamente dentro do Parque Estadual Carlos Botelho, onde tem uma bela estrada parque que corta um trecho de mata atlântica preservada.
Para chegar no camping você passa por dentro da portaria do parque estadual e depois entra em uma porteira que corta alguns terrenos privados mas que só se tem acesso por dentro do Parque Estadual.
A área do camping é muito boa, com diversos quiosques individuais com o básico, uma pia e uma churrasqueirinha.
No camping só tem luz de placa solar então a iluminação é pouca com alguns leds, bem do jeito que a gente queria. Tem água quente para tomar banho e o banheiro é bom!
Fora isso tem uma trilha muito legal que sai e volta de dentro do camping, cortando uma área legal de mata e beirando um riacho muito bonito.
 Fiz esse vídeo da viagem, assistam!




Pensando em acampar? Parque da Onça parda é uma ótima idéia, recomendo!

terça-feira, 11 de julho de 2017

Viajando pro Japão na época das cerejeiras!

Esse ano viajamos com estilo! Juntamos a mesma trupe de viagem da Nova Zelândia e partimos para tão longe quanto. 
Eu, a Annete e minha irmã a Paula, atravessamos esse globo que chamamos de casa para visitar o Japão! 
28 horas de jornada entre avião e paradas e chegamos! Sucesso! Foi uma viagem bem legal! 
E um gostinho fica nesses vídeos:

Esse com o melhor da época das cerejeiras em flor, um verdadeiro espetáculo!


E esse com o melhor dos amigáveis e pedintes cervos/veados de Nara!

domingo, 22 de janeiro de 2017

Toscana – o melhor da Itália

Do nosso roteiro de 17 dias na Itália, com certeza a Toscana merece um post exclusivo 


Dentro do roteiro que a gente fez na Itália, a região da Toscana foi a que mais nos encantou. Como amantes da natureza, de passeios cênicos, regiões rurais e pontos não-turísticos, a Toscana conseguiu englobar todas as nossas paixões e adicionar ainda um pouco mais de novidades!

Zen e Caos- Viagem pela Tailândia

Postagens populares